Corpo Europeu de Solidariedade: unir jovens e associações

A Comissão Europeia criou o Corpo Europeu de Solidariedade há três meses. Desde aí​,​ o programa recebeu as inscrições ​​dos jovens europeus interessados em participar em projetos solidários​,​ ​assim como os pedidos de acreditação por parte de organizações que querem receber esse​s mesmos projetos​.

Arrancou agora uma nova etapa: é a altura de ligar os jovens às organizações acreditadas. Cada uma delas passa a poder utilizar a PASS – Placement Administration and Support System. Trata-se de uma nova ferramenta online que permite que, através da base de dados, as associações possam encontrar os voluntários que preenchem os requisitos para as suas atividades.

Este sistema online do Corpo Europeu de Solidariedade permite o contacto direto entre as organizações e os jovens interessados​, já que,​ ​q​uando se registam, para além dos detalhes pessoais, estes jovens indica​m​ as suas competências, experiências, disponibilidade, preferências e motivações, além de anexar os​ respetivos​ currículos​.​

São já ​​​centenas as oportunidades que vão estar disponíveis a partir de agora e espera-se que aumentem para mais de mil nos próximos meses.

Nesta primeira fase, as organizações interessadas em participar no Corpo Europeu de Solidariedade podem inscrever-se para receber fundos através dos programas de financiamento da União Europeia já existentes.

Para participar, cada organização deve ler, compreender e identificar-se com a Carta do Corpo Europeu de Solidariedade que estabelece os direitos e deveres durante toda esta experiência de solidariedade. Depois, basta aderir. As organizações previamente acreditadas com um dos programas de financiamento têm acesso à PASS automaticamente.

Atualmente, são oito os programas que ​já ​apoiam o Corpo Europeu de Solidariedade.

São várias as organizações com ofertas enquadradas nesta iniciativa da Comissão Europeia: desde organizações governamentais a autoridades nacionais, regionais ou locais; empresas sociais e organizações de sociedade civil também são possibilidades. E​, ​dessas organizações,​ ​os voluntários podem esperar trabalhos variados: reconstrução de escolas, assistência a pessoas em situação de asilo, trabalho com pessoas com deficiência ou limpeza de vegetação florestal para prevenir eventuais incêndios são alguns exemplos do que ​​pode ser desenvolvido.​

Mais informações aqui.

Fonte: https://www.juventude.pt/noticias.php?id=115