Um colectivo de estudantes do mestrado de Praticas Artísticas Contemporâneas da FBAUP apresenta-nos a sua exposição: De;para é o essencial absoluto para descrever um momento de transmissão entre dois intervenientes que aqui se diluem para ser um ou muitos, múltiplos de si mesmos. A incógnita dos intervenientes pode ser uma recusa, mas também a necessidade de nos imprimirmos como um colectivo no espaço — os intervenientes são vários, ninguém, os pensamentos ou as próprias obras num circuito que não se fecha, incógnito na sua dimensão.”