unA nessunA e CentomilA
Quando uma cidade reflete sobre si mesma, mostrando lados invisíveis
Autora: Elena Fornasa
Nascida a 16/11/94 em Ostiglia (MN), Itália

Formada em Pintura entre a Academia de Belas Artes de Verona e a Faculdade de Belas Artes do Porto.

Esta exposição apresenta ampliações a preto e branco, em várias dimensões, e livros feitos à mão que incluem disparos em analógico, digital, polaroid e lomo.

O tema, como deixa antever o título, é o espaço urbano: a cidade, o modo de ver a cidade de uma leitora das “Cidades Invisíveis” (Calvino,italo 1972) que, com a imaginação de molde romântico, investiga e tenta fixar o invisível, o duplo e as múltiplas faces de um lugar específico: o Porto.
Na verdade, acredito que as cidades são um pouco como as pessoas: têm uma identidade como as pessoas e, como as pessoas, mudam no tempo, conservam memórias, fazem projetos e criam relações.
O meu encontro com o Porto ocorreu há cerca de um ano atrás. Foi, sem dúvida, fortuito. Na realidade,a cidade do Porto tornou-se parte de mim, partilhei com ela parte da minha vida e ainda espero continuar a compartilhar.
Aqui, então, que, através de reflexões, projeções , jogos de luz e sombra, tentei traduzir este meu diálogo pessoal com a cidade ; e como italiana, no título eu escolhi lembrar outro grande autor italiano : Pirandello , o autor de Um , ninguém e cem mil.